Resenha: Um amor perdido

sexta-feira, 23 de março de 2018



Título: Um amor perdido
Autor: Alyson Richman
Páginas: 335
Editora: Bertrand Brasil
Lançamento: 2018
Skoob : Em breve
Compre: Em breve
Classificação: 5/5



Recebi a prova antecipada de " Um amor perdido" e logo me encantei com a premissa. Sou louca por histórias de amor, ainda mais por amores impossíveis.

E quando li a sinopse, já peguei uns lencinhos extra, pois sabia que o choro seria livre, rs...


Não me enganei a respeito disso, chorei e sofri demais...


"Um amor perdido" superou todas as minhas expectativas! Me surpreendeu!






Vou te contar um pouquinho dessa história e de como ela me conquistou. 


Conhecemos a jovem Lenka, estudante de artes, e sua família encantadora. Seus pais são um casal apaixonado e muito sofisticado. Lenka tem uma irmã mais jovem e eles moram todos em Praga. 

Conhecemos também, Veruska, a animada e deslumbrante amiga de Lenka, sempre com seus vestidos esvoaçantes e vermelhos. Veruska é irma de Josef, um jovem estudante de medicina, que se apaixona por Lenka, assim que a conhece. 
Eles são todos fortes, lindos e cheios de energia... até chegar a guerra!

Lenka e Josef, apaixonados, se casam, mas logo, são separados pela Guerra, como tantos outros casais, tantas outras famílias...


Josef vai para a América, e recebe a notícia de Lenka morreu...

Ele se forma um obstetra, bem sucedido, casa-se novamente e constrói uma família. 
Mas nunca, conseguiu esquecer sua amada...

Lenka, achando ter perdido seu marido, sofre e esse sofrimento aumenta mais ainda, com os horrores da Guerra, no campo de Terezín, mas ela encontra forças, e sobrevive graças a arte e sua família.






Após anos, esse casal se reencontra em Nova York, e é aí que eles nos contam, essa linda história de amor, resistência e esperança.


Uma das coisas que mais me encantam em livros que retratam o Holocausto é a ESPERANÇA. Sim, essa esperança louca que ardia em cada coração, em meio a tantos horrores e maldades, em meio a tantas situações desumanas e cruéis. De onde vinha essa esperança, essa fé, a força para lutar?

Será que eu a teria? Sempre quando leio algo sobre a Guerra, me questiono.

E com esse livro não foi diferente, ao longo da leitura, me senti em uma sala aconchegante, sentada ao lado de Lenka e Josef e assim, eles iam me contando suas histórias.
Histórias de amor, dor, sofrimentos, recomeços, saudades...
E em muitos momentos me questionei, até onde eu suportaria?!

Josef e Lenka são personagens fortes e resilientes. Suas histórias são incríveis, com muitos momentos emocionantes.


O livro é uma história de amor sim, mas não apenas de Josef e Lenka. Essa história vai muito além...


O amor é capaz de superar muitos obstáculos, dores, medos, mas nunca o esquecimento!


Terminei a leitura encantada e inspirada!






Separei alguns quotes que me marcaram e trouxe pra vocês, espero que gostem!"


"Seria esse o primeiro sinal de amor?

Escutar na pessoa que se está destinada a amar, o som daqueles que ainda não nasceram."

"O que se faz com rostos em preto e branco que não falam, mas que continuam a assombrar você? O que se faz com cartas devolvidas do outro lado do oceano?"


"Todo mundo tem uma imagem ou uma lembrança secreta, que  só desembrulha, como bala escondida, sozinho à noite."


"Só sei uma coisa: família não se abandona. Não se abandona, nem mesmo em nome do amor."


"Mas perda é perda né? Fria e branca. Azul e escura. Corte uma veia e ela sangra."


"Porque é isso que acontece quando finalmente retornamos para aqueles que amamos, mas que deixamos para trás. Aqueles de quem nunca nos esquecemos. Escorregamos ao encontro deles, como duas mãos que se complementam. Caímos sobre eles como nuvens de algodão."



O livro tem o lançamento previsto para Abril de 2018. E espero que todos leiam e se encantem, assim como eu!





Comentários
2 Comentários

2 comentários :

  1. Que fotos lindas!!! Amei a resenha! Já quero esse livro logo!!!

    ResponderExcluir
  2. Adorei suas impressões Steph!!
    Eu tbm me emocionei bastante com este livro, principalmente quando começa as cenas no campo de concentração nazista. É muito triste saber que pessoas passaram por isso de verdade.

    XOXO

    ResponderExcluir